Agende sua Consulta

As Consultas são realizadas em sessões individuais, sendo 1 sessão por semana com duração de 50 minutos.  O profissional ajuda seus clientes a lidar com distúrbios emocionais tais como:  ansiedade, depressão, fobias, ataques de pânico e as demais questões que desencadeiam quadros psicológicos no qual o emocional está abalado de alguma forma.

Consultas particulares

Destina-se a jovens e adultos em quadros de desajuste emocional.

Trabalhamos com sessões avulsas e pacotes mensais.

Agende uma sessão de avaliação grátis e sem compromisso.

As consultas particulares são realizadas em sessões individuais, sendo 1 sessão por semana com duração máxima de 50 minutos. O psicanalista ajuda seus clientes a lidar c...
Consulta Particular
1 h
Consulte Valores
Clique no formulário acima, veja os horários disponíveis, e agende sua consulta agora mesmo!

A Psicanálise é um método terapêutico criado por Sigmund Freud no início do século XX e que prioriza a formulação do inconsciente como fator fundamental para a saúde psíquica de uma pessoa e atribui aos traumas (principalmente os sofridos na infância), serem os fatores geradores de neuroses que causam sofrimento ao ser humano, como, por exemplo:

  • Ansiedade

  • Angústia

  • Obsessão

  • Compulsão

  • Fobias

O método Psicanalítico criado por Freud e, mais tarde, seguido e aprofundado por Jacques Lacan, consiste em deixar que o analisando fale livremente sobre si mesmo e sobre aquilo que o incomoda, para que o próprio paciente tome conhecimento daquilo o que interfere em sua vida e lhe causa desconforto. A partir daí, auxiliado pelo Psicanalista, o analisando elabora (ressignifica) seus traumas e minimiza suas neuroses. 

 

 

Saiba um pouco mais sobre as neuroses:


A Angústia é um sentimento gerador de culpa, ocasionado por algo que fizemos no passado e que consideramos ruim. Carregar um sentimento deste tipo, entre outras manifestações, pode gerar uma necessidade inconsciente de autopunição, que pode se expressar, no dia a dia, como fazer escolhas pessoais e profissionais que certamente darão errado, induzir a atividades que causem risco de vida e até mesmo a automutilação, como por exemplo, o aparentemente inofensivo hábito de roer as unhas. 

A Ansiedade é um sentimento que se manifesta em relação ao futuro, a uma situação desconhecida pela qual a pessoa deve passar. Uma delas, por exemplo, é uma entrevista de emprego, ou a aproximação de alguém para declarar seus sentimentos. Nestes e em muitos outros casos, a ansiedade pode ser a causadora de um “travamento” da ação, o que impede a pessoa de conseguir chegar à entrevista ou sequer se aproximar da pessoa que ama. Geralmente as pessoas que sofrem com excesso de ansiedade são aquelas que chamamos de tímidos. 


As Fobias ou, em linguagem popular o medo exagerado de algo, geralmente está associado com um trauma e aquilo que tememos se torna, através de uma transferência inconsciente, um gatilho que nos faz relembrar a situação desagradável vivenciada na infância. Em um estado normal é a fobia que nos impede de acariciar um leão, ou uma cobra, ou pular de um edifício; porém, em graus mais elevados, é ela que nos impede de aprendermos a dirigir, de embarcar em um avião, ou de ficarmos frente a frente com um determinado tipo de animal que não causa medo em ninguém. Assim como a ansiedade, ela nos impede de seguir adiante e causa sérios problemas à vida de uma pessoa. 

A Obsessão é uma neurose fácil de entender. Quando em pequenas doses é ela quem nos faz seguir nossos sonhos e torna-los realidade. Uma escolha de carreira, ou a escolha de um parceiro, ou parceira, para se casar é fruto do que podemos chamar de “obsessão saudável”. No entanto, quando ela vai além dos limites é a responsável por desejarmos de forma desmesurada algo, como, por exemplo, um aparelho celular, um carro, uma pessoa sem que tenhamos realmente condições de “possuí-la”. Disso pode surgir um incômodo incontrolável ou até mesmo o total descontrole para alcançar o “objeto” da obsessão. 

 

A Compulsão age de forma semelhante à obsessão só que em vez de querermos algo, somos impulsionados a agir de uma forma determinada. Em estados exagerados de compulsão a pessoa não consegue se controlar e simplesmente age. Alguém pode ser compulsivo por limpeza e se pegar, por exemplo, limpando a casa às duas da manhã, ou ela pode ser compulsiva com horários e, para não se atrasar para uma reunião, desmarca todos os outros compromissos do dia. De certa forma a compulsão, assim como a obsessão, impede que a pessoa faça outras coisas que também são importantes para sua vida.

© 2014 Psicanalista Antonio Santos

Todos os direitos reservados.

Rua Graham Bell, 341 Santo Amaro- São Paulo/SP.

CEP: 04737-030